Acompanhe tudo sobre How I Met Your Mother Educação e Ensino de Ciências Crônicas Homenagens

High Infinity - O fim de How I Met Your Mother


Terminou.

Ri muito. Chorei algumas vezes. Refleti junto. Cresci e envelheci com os personagens. E agora terminou a minha série favorita na atualidade: How I Met Your Mother.

Conheci a série através do Tiago Manga, um amigo também professor, que me passou as quatro primeiras temporadas e me convenceu a assistir porque falava sobre a história de amigos da nossa faixa etária (eu tenho exatamente a idade do Barney, no seriado, embora o ator, Neil, seja um pouco mais velho do que eu!), conversando com filhos no futuro.

Paixão a primeira vista!  Devorei tudo em menos de um mês e comecei a acompanhar tudo a partir da quinta temporada. E a cada hiato, entre uma temporada e outra, revia alguns episódios. Alguns? Não! Muitos! E por que é tão bom rever? Por causa da narrativa que nos faz misturar emoções. Como não rir com o episódio "The Playbook" (S05E08)? Ou chorar com o final de "Bad News" (S06E13)? Torcer por Ted e Robin? Ou Robin e Barney? Tanto faz. Depois de um tempo, eles se tornam tão amigos que o que a gente mais quer é que perdure por um bom tempo.

Se gostei do final? Não gostei muito na hora, por isso nem fiz um review no dia para não ser tão ácido, mas depois de alguns dias e da poeira baixar, o final foi coerente. Ao contrário de outras Sitcoms, How I Met Your Mother me fisgou por causa de alguns elementos dramáticos, e também por sempre falar sobre as idas e vindas da vida e que as coisas nem sempre acontecem como imaginamos ou planejamos. Basta ver os finais de "Gary Blauman" (S09E21) e antes disso "How Your Mother Met Me" (S09E16).

No final, as pistas estavam todas lá. Desde o começo. Só a gente que foi se enganando com as mentiras de Barney Stinson (Neil Patrick Harris), a beleza de Robin Scherbatsky (Cobbie Smulders), o casal mais fofo Lily Aldrin (Alyson Hannigan) e Marshall Eriksen (Jason Segel), com a enrolação de Ted Mosby (Josh Radnor) e com o carisma, no final da série, da mãe, Tracy McConnell (Cristin Miliot).

Valeu, How I Met Your Mother, por fazer parte da minha vida. Você foi na minha vida, LEGEN ... WAIT FOR IT... DARY! LEGENDARY! ;-)


Experimento: reação ao roubo de um carro

Nos EUA, dois atores, um branco e um negro, simulam o roubo de um carro. Veja a reação dos populares:



Não duvido que aqui no Brasil aconteceria o mesmo com esse experimento. Alguém topa fazer e gravar?

DinoDica: Você sabe o que é "Parça"? "Véi"? "Pisante"? Aprenda a falar um pouco de Paulistanês!


Quem desembarca em São Paulo (imagine durante a Copa do Mundo!), mesmo sendo brasileiro, pode ter dificuldades para entender uma ou outra expressão. Para ajudar os turistas com o “paulistanês”, separei 31 palavras relevantes na rotina da cidade, que mesmo pra gente que é paulista, fica difícil de entender quando visitamos a capital. Coloquei alguns termos de gastronomia como “breja” e “bicho-de-pé”, e alguns locais, como “Ibira” e “ZL”. Confira algumas das expressões do paulistanês:

  • Biscoito: Esta palavra não existe no dicionário do paulistano. Para não ser caçoado, fale "Bolacha". Exemplo: "Queria bolacha recheada sabor morango."   
  • Breja: Cerveja. Exemplo: "Me vê uma brêja aí, campeão."
  • Colar: Chegar, aparecer, visitar. Exemplo: "Cola lá em casa pra gente tomar umas brejas!"
  • Daora: Bom, bacana, muito legal, interessante, divertido, coisa boa. Variação possível: Dazora. Exemplo: "Meeoo, que pisante daora!! Onde você comprou?"
  • Embaçar: Além de referir à condição climática nublada, também pode ser usada para descrever uma situação chata e complicada ou até um sujeito que dificulta as coisas. Exemplo: "Pô, meeeoo! O Cabeção tá embaçando a minha!"
  • Farol: Versão paulistana da palavra semáforo/sinaleiro. Exemplo: "Pô, meeeeooo! O farol abriu. Anda!"
  • Firmeza: Tudo bem, sério, confiável. Exemplo: "Pô, meo, cé é mó firmeza!"
  • Goma: Casa, moradia. Exemplo: "Cola lá na minha goma, meu!"
  • Ibira: Verbete que refere-se ao Parque Ibirapuera. Exemplo: "Descolei um esquema com uma mina dazora, meeeoo! Agora é só pegar o busão 875M-10, que ele passa lá no Ibira pra encontrar com ela."
  • Manjar: Entender, compreender, saber fazer algo bem, ter conhecimento sobre determinado assunto. Exemplo: "Pô, meeeooo! Cê manja das coisas!"
  • Miar: Programa/passeio ruim, vazio, que decepciona, que não corresponde às expectativas. Também pode ser usado como sinônimo de desistir, cancelar, deixar de comparecer, ausentar-se. Exemplo: "Ih, parece que vai chover. Acho que o rolêzinho com as mina vai miar."
  • Mó: Maior. Exemplo: "Pô Cabeção! Cê é mó vacilão!"
  • Na faixa: Grátis, entrada gratuita, catraca livre. Exemplo: "E aí, Cabeção? Firmeza? Então, vamos lá no Itaquera que vai ter show dos Racionais na faixa. Tamo junto?"
  • Osso: Difícil, complicado, complexo, trabalhoso, árduo. Exemplo: "Fazer essa dieta tá osso."
  • Padoca: Padaria. Exemplo: "Vai lá na padoca e compra pão pra mãe, filho?"
  • Parça: Parceiro, amigo, companheiro, pessoal próxima, colega. Exemplo: "E aí, parça, beleza?"
  • Pebolim: Futebol de mesa, totó, fla-flu ou ainda matraquilhos, matrecos ou perceberitos. Exemplo: "Lá no meu condomínio tem quadra de futebol, piscina, sinuca e pebolim. Cola lá!"
  • Petê: Acrônimo de Perda Total. Estado de inutilização de um bem material ou também quando alguém bebe demais e passa mal.  Exemplo: "Então, Cabeção! Depois daquela batida o carro já era. Deu Petê."
  • Pipocar: Dar pra trás, amarelar, desistir de algo sem antes tentar por medo/receio/controle emocional.  Exemplo: "Aí, ó, Cabeção! Tô achando que na hora H cê vai pipocar."
  • Pisante: Tênis, calçado, chuteira. Exemplo: "Daora esse pisante, meo."
  • Quebrada: Vizinhança, redondezas, periferia, bairro. Exemplo: "Cola aí na minha quebrada amanhã."
  • Quilão: Restaurante que vende comida por quilo. Exemplo: "Que larica, meeoo! Simbora pro quilão? Lá a gente pode escolher."
  • Rolê: Passeio, saída, viagem ou também trabalhoso, difícil, consumidor de tempo. Exemplos: "Vamos dar um rolê no Shopping Itaquera. Topa?" "Ah, não. É mô rolê pra chegar na sua goma!"
  • Salve: Oi, cumprimento. Exemplo: "Manda um salve lá pra galera do fundão pra mim?"
  • Se pá: Talvez, se der certo, provavelmente, se for possível, quiçá. Quando algo tem grande probabilidade de acontecer.  Exemplo: "Se pá, eu colo na festa hoje."
  • Tá tirando?: Expressão usada quando alguém está inconformado com uma fala/ação de mau gosto. Semelhante à "Tá de brincadeira/zoação/sacanagem/onda comigo?". Exemplo: "O que você disse? Tá me tirando, mano?"
  • Trampo: Emprego, trabalho ou algo árduo, que exige esforço. Exemplo: "Deu mó trampo pra chegar no trampo hoje, meeooo!"
  • Treta: Briga, confusão, rolo, desentendimento ou também algo desonesto, sujo, este último derivado de "Mutreta". Exemplo: "O que aconteceu? Ih, Mó treta, mano. Depois te conto."
  • Véi: Pronome de tratamento 2ª pessoa do singular. Originário de véio, que vem de velho. O mesmo que "Mano", "Cara", "Meo". Exemplo: "Véi na boa, cadê meu carro?"
  • Zica: Onda de azar, má sorte ou ainda bom, legal, descolado. Exemplo: "Pô, Cabeção! Mó zica! Fala sério! Tá dando tudo errado, meeeoo!"
  • ZL: Gíria atribuída a Zona Leste da cidade de São Paulo. Exemplo: "'Gostei de você, mina! Aonda cê mora?' 'Lá em São Miguel, na ZL!'"

O segredo é treinar. Encontre um amigo paulistano, decore alguns verbetes e tente encaixar na conversa. Vai parecer estranho no começo, mas com o tempo, você pega. Como sugestão, ouça entrevistas de funkeiros, pagodeiros e playboys de São Paulo, capital, que você pega também o sotaque. Espero ter ajudado! Até mais!

Assista em 8 minutos o porquê de não tomar água de garrafa

#DinoDica Países que não exigem visto para brasileiros


Eu adoro viajar! E estou planejando algumas viagens intercontinentais para breve. Fiz um levantamento e acho que pode ajudar muitos viajantes e mochileiros! Conheça os Países que não exigem visto para brasileiros (em ordem alfabética!):

A → África do Sul – Albânia – Alemanha - Andorra - Antilhas Francesas - Argentina - Áustria
B → Bahamas - Barbados - Bélgica - Bolívia - Bósnia - Bulgária
C → Chile – Colômbia - Coréia do Sul - Costa Rica - Croácia
D → Dinamarca
E → Egito – Equador - Eslováquia - Eslovênia -Espanha
F → Filipinas - Finlândia - França
G → Grécia - Guatemala - Guiana
H → Honduras - Hong Kong - Hungria
I  → Inglaterra – Irlanda - Islândia - Israel - Itália
J → Jamaica
L → Líbano – Liechtenstein - Luxemburgo
M → Macau – Macedônia – Malásia - Marrocos – México – Mônaco – Montenegro
N → Namíbia - Noruega - Nova Zelândia
H → Holanda
P → Palestina – Panamá - Paraguai - Peru - Polônia - Portugal
R → Reino Unido - República Tcheca - Rússia
S → San Marino – Sérvia – Suécia - Suíça - Suriname
T → Tailândia - Trinidad e Tobago - Tunísia - Turquia
U → Ucrânia – Uruguai
V → Vanuatu - Vaticano - Venezuela

Alguns dos países acima exigem só Certificados de Vacinação Internacional. Espero que tenha ajudado vocês! Bon Voyage!

Regis Tadeu vs. Funk Carioca

Regis Tadeu, crítico musical, colecionador de discos e apresentador de programa de rádio, fez severas críticas ao gênero musical "Funk Carioca" ao falar de frente a frente com Mc Rodolfinho e Tequileiras. Não gosto muito das críticas do Regis, mas de certa maneira, ele falou muita coisa do que eu penso sobre esse "Funk Ostentação" que invadiu nosso espectro eletromagnético. Assista e tire suas conclusões.



P.S.: Será que a galera do Funk entendia o que o Regis falava?

Ferramentas bloqueiam BBB no seu computador


Enquanto muitas pessoas amam o programa, há também muitas outras que odeiam a ponto de não conseguir conviver nem com menções ao reality show nas redes sociais. Usuários do navegador Google Chrome, no entanto, têm opções para bloquear as postagens de amigos sobre o assunto no Twitter ou no Facebook.

Criada em 2012, a ferramenta funciona de forma simples: já vem pré-configurada para bloquear qualquer postagem que contenha as palavras "BBB" ou "Big Brother", tanto no Facebook quanto no Twitter. Além disso, o usuário pode configurar mais palavras-chave para bloquear (como o nome dos participantes, por exemplo), ou até mesmo outros assuntos que não queira ver em sua timeline ou feed de notícias.

Para quem quiser bloquear o assunto não apenas das redes sociais, mas da internet inteira, a opção é o aplicativo Chega de BBB. Ele elimina qualquer menção sobre o reality show de qualquer página da internet, impedindo inclusive que o usuário vá para o link sobre o programa. Ao clicar em um link que falaria sobre o BBB, o usuário é encaminhado para a página do desenvolvedor.

Fonte: Terra

Desafio das 52 semanas


Pois é, só se fala disso nas Redes Sociais. 2014 começou com a novidade do desafio das 52 semanas para poupar dinheiro. A ideia é simples, divertida e ideal pra quem não consegue se planejar e economizar.

O desafio consiste em guardar um pouquinho a cada semana. A regra é simples: você guarda na semana o valor correspondente àquela semana. Fica assim: na primeira, R$ 1,00; na segunda, R$ 2,00, e por aí vai. No final do desafio, ou seja, ao final das 52 semanas que tem o ano, você terá R$ 1.378,00 para ajudar nas compras de Natal,  naquela viagem de férias, para iniciar seu negócio, enfim, usar como quiser.

Aqui embaixo eu reproduzi a tabelinha pra você imprimir e começar logo seu pé-de-meia. Será que você consegue?


Mas que tal aumentar a dificuldade? Que tal em cada semana, você colocar o dobro do desafio anterior? Será que fica muito difícil? No final, você teria R$ 2756,00! Veja como fica a nova tabela:


O importante é poupar. Pode ser muito, pode ser pouco, mas a poupança é uma das tarefas mais gratificantes, quando observamos seu resultado. E então? Gostou? Espero que tenha se inspirado a começar bem o ano que se inicia! Compartilhe essa ideia e vamos começar um mutirão para sermos financeiramente mais organizados! Vejo vocês depois. Até mais!

Crônica - Old Black Bloc


- Filho, eu descobri essas coisas no seu armário…

- Qual é o problema de ter uma máscara do anônimos e um taco de beisebol?

- Você usa isso?

- Não… quer dizer, às vezes…

- É que estou precisando. Será que você me empresta?

- Precisando? Pra quê?

- É que eu li as coisas que você andou escrevendo na internet…

- Você andou lendo o meu face?

- Qual é o problema? Não é público?

- É…mas…

- Pois é, eu li o que você escreveu e …

- Pai, eu sei que você não gostou do que eu escrevi lá , mas… eu não vou discutir, são as minhas ideias. Eu sou anarquista e…

- Não. Eu até achei legal. Você me convenceu.

- Convenci? De quê?

- Tá tudo errado mesmo… eu li o que você escreveu e concordo. Agora eu sou anarquista também, que nem você…

- Você o quê? Pai… que história é essa?

- É, você fez a minha cabeça. tem que quebrar tudo mesmo! Agora eu sou Old Black Bloc!

- Pai, você não pode… você é diretor de uma empresa enorme e…

- Não sou mais não. Larguei o meu emprego. Mandei o meu chefe tomar no .... Mandei todo mundo lá tomar no ....

- Pai, você não pode largar o seu emprego. Você está há 30 anos lá…

- Posso sim! Aliás tô juntando uma galera pra ir lá quebrar tudo.

- Quebrar tudo onde?

- No meu trabalho! Vamos quebrar tudo ! Abaixo a opressão! Abaixo tudo!

- Você não pode fazer isso, pai…

- Posso sim! É só você me emprestar a máscara e o taco de beisebol. E aí, você vem comigo?

- Não… acho melhor não…

- É melhor você vir porque agora que eu larguei tudo, a gente vai ter que sair desse apartamento…

- Sair daqui? E a gente vai morar aonde?

- Sei lá! Vamos acampar em frente a uma empresa capitalista qualquer e exigir o fim do capitalismo!

- Pai, você não pode fazer isso ! Não pode abandonar tudo!

- Tô indo! Fui!

- Peraí, pai! E onde eu vou morar? E minha mesada ? E meu computador ?

Volta aqui! Volta aqui, pai!!! Voooltaaaaa!

Club 88 Apresenta: Projeto “Le Voyage”


Em uma série de eventos culturais multissensoriais, o Club hospedado num dos mais belos prédios da cidade, dá sua contribuição ao resgate cultural do centro de Campinas.

A exemplo do resgate cultural ocorrido na região da Baixo Augusta na capital paulistana, hoje uma referência no Brasil, o Club 88, instalado num dos prédios históricos mais importantes do centro da cidade de Campinas, recém-eleito pela Revista Veja como a segunda melhor pista da cidade, apresenta uma série de eventos culturais onde, num casamento perfeito, a música e as artes plásticas estarão em “lua de mel” nos próximos meses, o projeto batizado de Art’n Beats tem seu evento inaugural sexta-feira dia 29 de novembro no Jockey Club campineiro.

Projeto Le Voyage
Pensando na arte como um todo, o projeto “Le Voyage” criou um ambiente multissensorial onde o som, as formas, as cores, o movimento e a luz, que fazem parte do nosso cotidiano, se relacionam de forma natural e harmônica, indo além de uma simples exposição, uma verdadeira metralhadora de ideias artísticas criou vida.

Ao todo são 15 artistas foram convidados a contribuir livremente com o evento, expondo suas obras no espaço mais charmoso da cidade, que conta com um ingrediente mais que especial, uma bagagem cultural que só o prédio do Jockey Club Campineiro poderia proporcionar.

Quando:
Sexta-feira, 29 de novembro de 2013
21 horas

Onde:
Club 88
Jockey Club campineiro - Campinas - SP
Rua Dr. Tomaz Alves, 39 Centro

Quem faz:
Projeto Le Voyage
Artistas: Victor Strang, Vinicius Agostini, Daniel Von, Thiago Luporini, Arthur Mask, Go Carvalho, Magenta King, Hugo Ceneviva, Luan Bronbim, Pedro Ferrarezzi, Dibis, Raphael Gibara, Michel Massih, Ots, Beatflavor.


Club 88: Eli Iwasa, Antônio Carlos Diaz, Rodolfo Salin, WillIians Pinsetta, Fernando Giuliani.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Template by Anderson Dino
Copyright © 2012 Anderson Dino and Blogger Themes.