A Turma 13 de Marketing Organizacional


No início de 2011 eu tinha um desafio. Voltar a estudar. Já tinha se passado um hiato de quatro anos sem ser um estudante e eu resolvi arriscar. Não era mais um menino embora a cabeça teimasse em ser. Mas voltar a estudar? O quê? Como sou formado em Química e trabalho como educador, logo procurei cursos voltados à minha área. Psicopedagogia. Administração Escolar. Ensino de Ciências. Mas eu olhava as ementas dos cursos e pensava: vou estudar mais do mesmo?

Então fui em um encontro no final de 2010 e lá estava Walter Longo, palestrante que acompanhava por alguns textos e artigos, e fui bater um breve papo durante o café. Falávamos de diversos assuntos, de ficção científica a filosofia, de economia a mudanças climáticas, e tudo isso em não mais do que uns quinze minutos.  No final do encontro, eu fui pedir um conselho sobre a minha carreira. Ele ouviu sobre a minha carreira e disse algo que pensei por alguns dias:

"- Olhe sua vida de fora da caixa. Procure o nexo das coisas que você gosta."

Procurar o Nexo. Fiquei mais perdido que surdo em bingo, mas como tinha assistido a palestra do Walter, não demorou para achar alguma coisa. Naquela mesma época, uma amiga e ex-aluna, Aninha, começou a bater uma série de papos comigo sobre Publicidade e Marketing e sobre ser nexialista. Eu, totalmente leigo no assunto, comecei a ficar fascinado pelos temas. E graças em grande parte a ela, uma nexialista nata, eu comecei a procurar cursos de extensão nesta área de Economia e Marketing, até encontrar o curso de Especialização em Marketing Organizacional, oferecido pelo Instituto de Economia da Unicamp. Participei da seleção, e logo pensei que seria descartado por não ser da área, até que na entrevista me perguntaram:

"- Então você trabalha naquela escola que o marketing é bem forte?"

"- Sim, isso mesmo."

"- Minha filha estudou lá!"

O papo que estava super-sério ficou informal e, no final, saí dali com a ideia de que poderia ter sido aprovado. Cerca de uma semana depois me ligaram e fui aprovado. Tinha alguns dias para apresentar a documentação. Em algumas semanas voltaria a ser estudante. Comprei um caderno (que usei o curso inteiro!), canetas, lapiseira, borracha, uma mochila para o notebook. Me sentia novamente um estudante universitário.

Primeiro dia de aula, cheguei cedo, para não perder a sala. Sentei no fundo. Algumas pessoas foram chegando, quando aparece um outro amigo e ex-aluno, Fabrício, que viria a ser meu parceiro de baladas por um tempo. Mais algum tempo, chega o Alessandro, amigo dos tempos da Pastoral da Juventude. Mundo pequeno. Logo estávamos os três mais enturmados que os demais da sala, e formamos o nosso primeiro grupo: eu, Fabrício Braga, Alessandro Fantinato, Daniel Marques, Natália Lion e Mariana Dorigatti.

Os bimestres foram passando, e o grupo foi diminuindo. Primeiro saiu o Daniel e depois o Alessandro por motivos de trabalho. Depois o Fabrício trancou para fazer uma nova faculdade. O grupo diminuiu e se desfez. Hora de realocar para novos grupos. Fui fazer parte de um segundo grupo, que me acompanhou na segunda metade do curso e, que de certa forma, era um time: Mariana Ferreira, Bianca Siloto, Flávio Jarava, Jéssika Caetano e Lúcio Conde, onde eu fui aceito para fazer parte da família de Cachaça Premium Braz. Fiz parte de outros grupos também,e não posso esquecer de quem trabalhou comigo em outras ocasiões: Alana, Felipe, Érika, Edilene, Luiz, Flávia, Ana Blanco, Ednéia, Natália, Diomedes.

Esse grupo, e talvez as matérias, ajudaram a gente a se enturmar mais com o restante da turma. Não que a gente não se enturmasse, mas as divisões entre as panelinhas eram bem claras. Mas na segunda metade do curso pudemos conhecer melhor as pessoas que faziam parte de nossa turma. Uns ganharam minha admiração e gratidão eterna. Fiquei feliz em ter conhecido pessoas de diversas áreas do conhecimento e de diversas empresas diferentes. O sucesso de um curso de pós-graduação se deve tanto a diversidade dos alunos quanto a qualidade. 

Quantas vezes não rimos com as frases geniais do Caio, do Pablo e do Reginaldo? Ou das tiradas do casal Larissa e Jeferson? E o sotaque carioquês-pernambucano da Rebeca? E as apresentações de seminário conduzidas pela Bianca e Diomedes? Ou surtamos com as aulas de Logística, Finanças e Jogos de Empresa? Ou saímos pensativos das aulas de Marketing de Relacionamento, Indicadores Socio-econômicos e Marketing de Segmentos Específicos? Ou fomos salvos pelos e-mails e chamadas da Miriam? Tantas coisas aconteceram no curso, que ficarão para sempre marcadas no coração deste professor.

Depois de 17 meses de curso, mais de 360 horas de aulas, dezenas de terças e quintas-feiras, reposições, chegamos ao nosso último dia de aula. 12 de julho de 2012. Muitas risadas necessárias. Muitos estresses desnecessários. Amizades que durarão anos. Colegas que estão de partida para outras cidades. Professores inesquecíveis. Professores sofríveis. Gente que nos deixou sem ao menos eu conhecer direito. Gente que se permitiu ser verdadeiramente admirados. Minha turma. Turma 13. Turma de ECO-180. Turma de Marketing Organizacional. Valeu a cada um de vocês, que contribuíram para esse carinha se descobrir, a ver a vida de fora da caixa, a encontrar o nexo nas coisas que gosta. Obrigado mesmo. Desculpem-me se esqueci de citar alguém, mas só tenho mais uma coisa a dizer para todos vocês:

- Vocês foram demais!

2 Comentários:

Este comentário foi removido pelo autor.
ana disse...

Com certeza essa turma fez diferença, por mais que nem sempre tão unida, pelo menos sempre animada! Deixei vcs antes da hora, mas sei que conheci pessoas para uma longa amizade!
E que todos nós continuemos aprendendo a olhar a vida fora da caixa, né?
abss,