Crônica - Deslizes


"- Me pega às sete?"

"- Tem certeza? Não é melhor sete e vinte? Aí você tem mais tempo para você."

"- Não, às sete mesmo. Estarei pronta te esperando."

Pontualidade britânica nunca foi o seu forte. Mas mesmo assim às sete da noite ele estava estacionado em frente a casa dela. Mandou um torpedo para o celular dela.

"Cheguei."

Ela respondeu de pronto.

"Tô indo."

Enquanto esperava, ele aumentou o volume do rádio. Seis músicas depois ela apareceu no portão. Sete e vinte e um. Tudo bem.

"- Desculpa o atraso."

"- Não tem problema. Já me acostumei. Vem cá, minha linda..."

Ele abaixou o volume do rádio enquanto ela ficou parada o encarando.

"- Como assim já se acostumou?"

"- Brincadeira. Vem cá..."

"- Não. Pode me falar! Acostumou com o quê?"

"- Ah, com sua pontualidade."

"- E isso te incomoda?"

"- Não. Que isso, amor."

"- Sei."

"- Vem cá... quero meu beijo."

"- Hoje você vai ficar de castigo."

"- Castigo? Por quê?"

"- Por falar o que não deve."

"- Então tá bom. Se você quer assim. Então vamos."

Ele ligou o carro, aumentou o som do rádio e começou a cantar enquanto tamborilhava com os dedos no volante do carro. Ela odiava essa facilidade que ele tinha de matar qualquer briga. Durante o trajeto eles conversaram sobre o dia de cada um, sobre os pais e do trânsito que ainda estava intenso. Em não mais do que vinte minutos eles chegaram à cantina italiana que ele tinha reservado para o jantar dos dois. Deu a chave ao manobrista, desceram e se encontraram atrás do carro, onde ele a pegou pela mão. Se entreolharam e ela puxou a conversa.

"- Desculpa, amor. Prometo que não vou mais atrasar. Você me perdoa?"

"- Não preciso te desculpar. Eu te amo. Prometo também que não vou mais provocar a fera falando besteiras. Você está linda demais hoje. Não mereço tudo isso."

"- Não tem nada demais. Tô feia e com cara de acabada."

"- Queria ter você assim assim todos os dias ao meu lado ou em meus braços."

Ele tocou de leve no pescoço dela, puxou-a para mais perto.

"- Bom, nosso beijo está atrasado alguns minutos, né?"

"- Seu tonto. Te amo muito, viu?"

"- E eu te amo cada dia mais, meu anjo."

Se beijaram ardentemente, como grandes apaixonados que eram. E assim foi só o começo daquela noite inesquecível para os dois.

* * * * * * * * * *

Se cumpriram as suas promessas? Ainda hoje, ela atrasa de vez em quando e fala que só vai demorar um minutinho; e ele fala sem querer aquilo que não deve. Mas quando tem um grande amor nas nossas vidas, esses deslizes servem apenas para temperar um grande relacionamento. São apenas bobagens que todo casal feliz sempre tem.

0 Comentários: